Como tudo começou

placeholderantigo

Eu tinha meus doze anos quando ganhei meu primeiro vídeogame Nintendo, um modelo de 8 bits. Foi uma revolução na época, muito superior ao meu Atari. O som, as imagens, as animações… A partir de então eu soube o que queria ser quando crescer: um Desenvolvedor de Games!

Mas não sabia como ou onde eles eram feitos, quem fazia. Era meio mágico. Naquela época não existia a internet. Eu fazer Games? Era um sonho distante, certo?

Nem tanto!

Nas férias de verão daquele ano, conheci outro “guri” que compartilhava do mesmo interesse. Foram anos jogando todos os jogos disponíveis e pedindo aos pais, a cada ano, um videogame mais atualizado. Com o tempo veio a faculdade de Informática. Lá vimos que nosso sonho não estava tão distante. Com a internet, procurar artigos e informação sobre como desenvolvê-los, ficou fácil.

Embora não tenhamos cursado ao mesmo tempo, depois de formados acabamos na mesma empresa. Não foi acaso, mas apego aos nossos ideais, afinal, era a única empresa em Pelotas com visão inovadora. Era a Gestum – Tecnologia Educacional.

Especializada em educação à distância, ela nos permitiu buscar inovações na área. E com a mesma perseverança da infância, em 2003 criamos uma área de desenvolvimento de jogos. Era o sonho, antes distante, tornando-se realidade.
Dentro da área de serious games (jogos sérios), implementamos o conceito ensinar e praticar através de um jogo ou simulador. E foi uma idéia de resultados: hoje, seis anos depois, nossa empresa é pioneira e líder nesta área no cenário nacional, com mais de 20 games já desenvolvidos.

Sempre que conto esta história, me sinto orgulhoso de ter persistido no meu sonho e hoje poder dizer que, além de ganhar dinheiro fazendo o que eu gosto, vídeo games, estou contribuindo para o desenvolvimento não só da minha região, como também de todo o País.

Um agradecimento especial a minha mãe que sempre apoiou a escolha de minha profissão, me educou, financiou meus estudos, e principalmente, me mostrou que apenas com muito trabalho é possível alcançar seus objetivos.

Ahh claro, ela também patrocinou todos os meus consoles até meus 18 anos :) .

Autor: Everton Vieira Ver todos os posts de
Sou Bacharel em Análise de Sistemas pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel) no ano de 1999. Minha paixão por games é de longa data. Porém, em 2003 tornei essa paixão uma profissão. Durante oito anos atuei como Game Designer e Arquiteto de Software em mais de 30 projetos de Serious Games (simuladores) para grandes empresas do país. Atualmente sou sócio-fundador da Izyplay Game Studio, onde exerço o cargo de Diretor de Criação. Além do envolvimento corporativo, também participei da organização da Pós Graduação em Arquitetura e Desenvolvimento de Jogos Digitais na FATEC SENAC Pelotas. Minha área de interesse e especialização é Game Design e Inteligência Artificial.

5 Comentários em "Como tudo começou"

  1. Fábio Santos 06/10/2008 at 22:42 - Reply

    Que tua futura vida profissional seja no mínimo igual a esse belo relato. No momento tudo está dando certo, e tenho certeza que irá melhorar ainda mais.

    Abração de teu amigo Ice.

  2. Cissa Baini 12/10/2008 at 22:26 - Reply

    Ta, nao menospreza o nosso Atari! :P

  3. Diógenez_Brandão 27/03/2009 at 14:47 - Reply

    Pow Everton essa história de games na sua trajetória de vida é bem interessante heim, começando por “um prazer, um sonho, uma conquista”.
    Parabéns, e que apesar do passar dos anos ainda possa ser o começo de de muitos sonhos e conquistas a se realizarem na vida!!
    Deus te abençoe com mais criatividade e capacidade.
    .:Shalom:.

  4. Marcelo Korjenioski 30/04/2011 at 09:28 - Reply

    Minha historia é parecida com a sua. Mas continuo procurando um lugar para trabalhar com games no momento apenas participo de um blog de games com amigos e trabalho em um projeto de um jogo para Android.

    • everton.vieira 03/05/2011 at 11:42 - Reply

      Legal Marcelo,

      A dica é não desistir, se capacitar para quando a oportunidade aparecer, você estra pronto para agarrá-la.

Deixar um Comentário