PodAbrir 00 – A tendência dos Jogos Sociais

Olá gurizada,

Atendendo ao clamor de nossos fiéis leitores, criamos “coragem” e finalmente lançamos o tão esperado PodAbrir, o PodCast do Abrindo o Jogo. Aqui, iremos discutir sobre diversos assuntos do mercado de games, compartilhando com vocês dicas e opiniões sobre o desenvolvimento de games.

Neste episódio piloto, o assunto é Jogos Sociais. Qual seria a tendência deste crescente nicho da indústria? Seria uma bolha prestes a estourar, ou apenas o início de algo ainda maior? Ouça e participe, pois vamos definir o formato final  do podcast junto com vocês.

Enviem sugestões através dos comentários ou pelo e-mail contato@abrindoojogo.com.br.

Participantes: Everton Vieira e Alessandro Nornberg

Imagens de referência:

PodCast:

Autor: Everton Vieira Ver todos os posts de
Sou Bacharel em Análise de Sistemas pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel) no ano de 1999. Minha paixão por games é de longa data. Porém, em 2003 tornei essa paixão uma profissão. Durante oito anos atuei como Game Designer e Arquiteto de Software em mais de 30 projetos de Serious Games (simuladores) para grandes empresas do país. Atualmente sou sócio-fundador da Izyplay Game Studio, onde exerço o cargo de Diretor de Criação. Além do envolvimento corporativo, também participei da organização da Pós Graduação em Arquitetura e Desenvolvimento de Jogos Digitais na FATEC SENAC Pelotas. Minha área de interesse e especialização é Game Design e Inteligência Artificial.

22 Comentários em "PodAbrir 00 – A tendência dos Jogos Sociais"

  1. Marcelo de Assis 20/07/2011 at 01:15 - Reply

    Ainda vou ouvir, mas já vos dou os parabéns. Tá faltando podcast IMPARCIAL do assunto no Brasil.

  2. Diogo Moraes 20/07/2011 at 09:36 - Reply

    Ainda estou baixando, mas também queria dar meus parabéns :D
    Agora para o Marcelo de Assis: O podcast é deles, com as opiniões deles. Pra que você quer um podcast imparcial sobre esse assunto?

    • Marcelo de Assis 02/08/2011 at 01:58 - Reply

      Cara, dá pra ser imparcial e ter opinião própria, não me entenda errado.

  3. J Sinoti 20/07/2011 at 10:42 - Reply

    Muito legal o podcast.

    Parabéns

  4. Regis Machado 20/07/2011 at 14:53 - Reply

    Muito bom o podcast…
    Curti a trilha sonora “Go Go ghostbuster!” ..

    Sobre o jogador hardcore em redes sociais, eu pergunto se as pessoas que passam o dia e noite jogando por exemplo um cityville não seriam também hardcore ou até mesmo extreme hardcore, claro que dentro do contexto de jogos sociais.

    Só acho que talvez a pesquisa tenha se confundido um pouco com relação aos jogadores causais, sabemos que hoje em dia nem são tão casuais assim, pois tem muita gente que dedica bem mais que alguns minutos por dia neles chagando ao ponto de serem hardcores, parece que eles levaram somente em consideração somente o Gênero do Jogo e não o tempo e o dinheiro que o jogador gasta nesses jogos.

    Abraços

    • everton.vieira 20/07/2011 at 21:56 - Reply

      Blz pessoal, agradecemos os comentários.
      Sua colocação foi muito interessante Regis. O formato atual dos jogos sociais podem realmente não estarem mais adequados a um público casual. Todos eles seguem uma mesma arquitetura, exigindo pequenas sessões de jogo. Porém é notório que a maioria dos jogadores acaba burlando a jogabilidade para se manter mais tempo no game. Entre as façanhas está o “cuidar da fazendo do amigo”. Ou seja, os novos jogadores já estariam pedindo um tipo de game mais denso, complexo e divertido. Isso com certeza é um indicador do que pode estar chegando logo nas redes sociais.

  5. Otávio Ortiz 20/07/2011 at 22:02 - Reply

    Fazendo uma análise do publico que constitui a piramide, podemos observar que – na verdade a base passou a existir agora, ela não é constituída por outros tipos de jogadores que passaram a integra-la, e sim por pessoas que não jogavam.

    Os motivos pelos quais essas pessoas não jogavam podem ter sido vários, acredito que o principal tenha sido a antiga distância da tecnologia, que permitia que essas pessoas tivessem apenas uma visão preconceituosa sobre os jogos.

    Hoje é muito mais simples você experimentar um jogo sem perder tempo e tão pouco dinheiro. Porém analisando que o topo da pirâmide é constituído por pessoas mais novas acredito que o publico futuro não se adequará a essa estimativa.

    Os novos jogadores não se contentaram com jogos simples como os que temos hoje em redes sociais, esse é um mercado que caso não evolua sucumbirá.

    Sobre o podcast. Eu gostei, mas acho que foi muito linear e frio. Acredito que ficaria bem melhor com menos tempo em um único tema e adicionando uma pitada de humor.

  6. Daniel Santos 20/07/2011 at 22:21 - Reply

    Parabéns pela iniciativa!

  7. Zimbres 21/07/2011 at 10:06 - Reply

    A música é do caralho, mas não sei se ela ficou legal no podcast. O ritmo dela é diferente do ritmo da conversa, e repete bastante.

  8. Luiz Fernando Meirelles 22/07/2011 at 06:24 - Reply

    Parabéns pelo podcast e pela atuação profissional. Fico feliz em ver egressos da UCPel se destacando no cenário da TI.

    Quando possível, publiquem um podcast sobre jogos na educação superior.

    Grande abraço.

    • everton.vieira 22/07/2011 at 09:54 - Reply

      Olá professor, quanto tempo!
      Nós também ficamos felizes em saber que o Sr. está acompanhando o blog. Apesar de não estarmos mais diretamente ligados a área de games na educação, com certeza este tema será abordado em um podcast, tendo em vista o nosso histórico na área.

      Um grande abraço!

  9. Leandro Freire 22/07/2011 at 10:59 - Reply

    Gostei do podcast. Ele analisou bem o mercado de games casuais. Como vocês pediram feedback do programa, aí vai:
    1- Ghostbusters é legal, mas acho que a música poderia ficar num volume mais baixo. Além disso, a repetição ficou meio chata.
    2- Cortem os espaços entre as falas e os sons de fundo e os vícios (É… ahmmm…, por exemplo).
    Acredito que tudo isso vêm com o tempo, mas, no geral, ficou muito bom.

  10. Marcelo Martins 22/07/2011 at 12:04 - Reply

    Everton e Alessando,

    Parabéns pelo trabalho e pela escolha do assunto. Não podemos ignorar a força e a penetração de mercado dos jogos sociais. Principalmentem, porque ele atrai (muito) o público feminino que tem um grande potencial de consumo.

    Um abraço,
    Marcelo Martins

  11. Roger Machado 22/07/2011 at 12:44 - Reply

    Ficou Bom, gostei do mascote hauhauahuahau
    Aguardando o proximo Pod. Ta na hora de abrir o abrindo o jogo no Twitter, isso pode ajudar bastante a interação da galera que participa do site junto ao Podcast e aos Post em geral, publicado no site.

    Abraços.

  12. Marcelo Tust 25/07/2011 at 11:13 - Reply

    Fala galera,

    meus parabéns pelo podcast. A qualidade está muito boa. Já estou no aguardo dos próximos!!!

    Quando tiver algum tempo espero colaborar com algum material ou assunto para o blog ou podcast.

    PS.: Não esqueçam de publicar pelo iTunes também. #FicaDica

    Abraços!
    Tust

  13. Sandro Macedo 21/05/2013 at 01:25 - Reply

    Parabéns Everton Vieira! Ótima iniciativa!

  14. HIroshi Sebin 09/02/2014 at 18:44 - Reply

    Parabéns :)

  15. rony 23/04/2014 at 17:07 - Reply

    Muito bom. Me ajudou muito.

  16. André Luiz Alvares 06/01/2015 at 19:49 - Reply

    Olá, eu fui pesquisar um podcast de desenvolvimento de jogos e me surpreendi com vocês, parabéns, irei ouvir os outros, a única coisa que faltou mesmo foi uma edição melhor, coisa que já deve ter sido resolvida nos mais recentes.

    Observação: Na página do PodAbrir só tem até o Podcast 22, sendo que saiu até o 25.

    • Everton Vieira 10/01/2015 at 22:07 - Reply

      Legal que gostou André!
      Valeu pela dica. Vamos ajustar. O que falta é tempo :P

  17. Eduardo Vicente 02/08/2015 at 00:10 - Reply

    Muito bacana este podcast! Irei assistir os demais para me inteirar melhor aos assuntos gamer :)

Deixar um Comentário