PodAbrir 19 – E3 pela lente dos desenvolvedores

Olá gurizada,

depois de um longo mês bastante atarefados, estamos de volta com o nosso podcast sobre desenvolvimento de jogos. Aproveitando os acontecimentos da E3, vamos comentar pela ótica dos desenvolvedores as principais novidades apresentadas na grande feira. O podabrir volta com novidades, entre elas, um novo integrante. Não deixe de conferir o episódio de hoje :)

Participantes

  • Everton Vieira (Izyplay)
  • Alessandro Nornberg (Izyplay)
  • Marcelo Martins (Clefbits)

Categoria

  • Mercado

Links comentados neste episódio

Trilha Sonora

PodCast

Visitem nossa página no Facebook

Autor: Everton Vieira Ver todos os posts de
Sou Bacharel em Análise de Sistemas pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel) no ano de 1999. Minha paixão por games é de longa data. Porém, em 2003 tornei essa paixão uma profissão. Durante oito anos atuei como Game Designer e Arquiteto de Software em mais de 30 projetos de Serious Games (simuladores) para grandes empresas do país. Atualmente sou sócio-fundador da Izyplay Game Studio, onde exerço o cargo de Diretor de Criação. Além do envolvimento corporativo, também participei da organização da Pós Graduação em Arquitetura e Desenvolvimento de Jogos Digitais na FATEC SENAC Pelotas. Minha área de interesse e especialização é Game Design e Inteligência Artificial.

13 Comentários em "PodAbrir 19 – E3 pela lente dos desenvolvedores"

  1. Marcelo Martins 26/06/2012 at 10:35 - Reply

    Pessoal,

    Estou aqui só para corrigir algumas coisas que falei:

    - Third Party ficou com uma pronúncia horrível. Soou Thirty Party.
    - Reggie Fils-Aime é presidente da Nintendo of America. Ele é responsável por todo o marketing e vendas dos produtos Nintendo nos E.U.A., Canadá e América Latina.

    Espero que gostem do podcast!

    Um abraço,
    Marcelo

  2. Marcelo de Assis 26/06/2012 at 16:07 - Reply

    Só um ponto contra no podcast: Apesar de eu gostar da banda, foi duro aguentar a mesma música do Black Sabbath se repetindo durante 62 minutos!

    • everton.vieira 26/06/2012 at 17:33 - Reply

      Hehe, Black Sabbath nunca é demais Marcelo, mas anotamos aqui a sua sugestão de mais músicas por episódio :)

  3. Leonardo Zimbres 28/06/2012 at 11:05 - Reply

    Opa! Estou baixando o podcast para ouvir, mas falando em música, depois que escutei o podcast de vocês, tenho um troço quando escuto a música dos caça-fantasmas!

  4. Francisco Prado 28/06/2012 at 14:27 - Reply

    Acho que depois do Kinect já está ficando difícil para as fabricantes lançarem algo “realmente novo”, algo que divide águas, como o Wii.

    Agora, talvez seja a hora das desenvolvedoras de games aparecerem, explorando os recursos existentes e levando o game design para outro patamar.

  5. Alexandre Cassemiro 29/06/2012 at 21:12 - Reply

    O que eu espero de avanço para a proxima geração é algo semelhante a engine Luminous, da square. Achei aquilo impressionante em termos graficos. Até achei estranho, vcs não comentarem disso…
    Teoricamente os jogos dela pra proxima geração serão baseados nessa engine. E levando isso em conta, é muito dificil acreditar que o Wii U, possa ter potencial para acompanhar a proxima geração em termos graficos.

    Mas tirando o fator grafico, espero iterações do que já existe. Uma melhora do sistema online, alguns destaques indies. Jogos sandbox com roteiros inovadores. Eu gostaria, apesar de saber que não vai acontecer, de novas franquias… to cansado de franquias esgotadas. E espero um triplo A do Suda51!!

    • everton.vieira 30/06/2012 at 18:46 - Reply

      Olá Alexandre,

      A Egine da Square realmente impressionou com os gráficos detalhadíssimos em tempo real. Porém, como desenvolvedor, não vimos muita coisa sobre a engine em si. Sua interface, peso de processamento ou novas funcionalidades, se comparada com outras de mesmo porte no mercado (ex: Unreal). Assim que soubermos mais detalhes, com certeza abordaremos aqui no blog.

  6. will 02/07/2012 at 00:52 - Reply

    Eu sou a favor de acabar com as musicas, só as falas já ta bomm, as musicas é legal nos 2 primeiros minutos, depois acaba atrapalhando a concentração… mas se for fazer com musicas, só abaixem bemmmmm, tipo 1% rsrs… mas é mto bom os pods… já ouvi mtos…

  7. Marcelo d Amore Ucha 02/07/2012 at 09:25 - Reply

    Vou fugir um pouco do assunto, só quero dar os parabéns pelos posts de qualidade, os assuntos muito bem elaborados, o estilo do post, acima de tudo, tri informal e sem firulas.
    Digo mais finalmente posso ouvir mais de uma vez e chegar a conclusão que o post está inovando e mostrando que sim, aqui neste país é possível encontrar material de referência e profissionais que realmente arregaçam as mangas e dão a cara ao tapa…sucesso e por favor continuem no mesmo estilo…tem mais…trilha sonora de primeira…

    • everton.vieira 03/07/2012 at 13:34 - Reply

      Olá Marcelo,

      Agradecemos os elogios. Servem como incentivo para continuar com a iniciativa. ;)

  8. Bárbara 03/07/2012 at 08:52 - Reply

    Já que está todo mundo falando da música…
    Eu acho não está com nada essa sugestão de tirar a música. Na verdade, uma amiga minha tem como toque de celular a música que estava tocando no primeiro PodAbrir que ouvi, e toda vez que o celular dela toca penso no AoJ. É característico, e isso é bom!
    Ainda falando do audio… Bonita voz a do Marcelo Martins, rsrs.

    Agora, só pra não passar sem comentar nada sobre o tema, acho mesmo que a Nintendo está indo pelo caminho errado e, ainda, que mesmo o controle sensor de movimento já não é tão legal, porque ele foi obsolescido pelo Kinect. Mas, só a opinião de alguém que não tem um Wii e é muito suspeita em relação ao X-Box.

    • Marcelo Martins 03/07/2012 at 21:02 - Reply

      Oi Bárbara,

      Obrigado pelo elogio! ;) Fico feliz em saber que gostou dessa edição do PodAbrir.

      Sobre a Nintendo, é difícil saber se a direção é certa ou não. Todo mundo nessa indústria fica pianinho quando fala sobre a Big N, porque às vezes eles fazem algo muito bizarro e dá certo. A vantagem da Nintendo é que eles cuidam com muito carinho das suas franquias. Não tem como a gente deixar de jogar o novo Mario ou Zelda…

      Ah, sobre a trilha do PodAbrir… Há poucas coisas no mundo mais fantásticas do que Black Sabbath.

  9. Alex 11/09/2012 at 03:34 - Reply

    Achei interessante a conversa sobre o console único.

    Apesar de, na minha percepção, nunca possa acontecer, achei muito interessante.

    Outra coisa interessante que tenho gostado é escolher comprar jogos pelo Steam, que são para PC e Mac, assim posso jogar em qual plataforma eu quero.

    Tenho visto também esses indie bundles, que tentam entregar games multi-plataformas, para pc, mac, linux, android e steam e desura…

    Acho que melhor que o console único, é comprar o jogo e jogá-lo em qualquer plataforma que exista, consoles, computadores, mobiles.

    Abraços,

    Alex.

Deixar um Comentário